Indústria e Tecnologia

10 pilares para o sucesso da implementação de um projeto de indústria 4.0

A indústria 4.0 é um tema in vogue quando falamos do setor industrial. São cada vez mais as indústrias que querem acompanhar esta transformação. A utilização de tecnologia moderna capacita os projetos de indústria 4.0 na otimização e aumento significativo do nível de produtividade e de qualidade dos processos internos. Ainda assim, tal como é explicado ao longo do artigo, existem diversos fatores que podem influenciar o momento de implementação de um projeto de i4.0.

A evolução para um paradigma de indústria 4.0 está cada vez mais presente na expectativa futura das indústrias, sobretudo pela necessidade de mapeamento numa perspetiva que respeite tanto a competitividade como a sustentabilidade dos mercados, já que através da automação e da análise detalhada dos dados, é possível encontrar a causa raiz do desperdício e, consequentemente, reduzir os custos dos processos.

O sucesso da implementação no âmbito da indústria 4.0 depende de vários fatores. É fundamental analisar diversos aspetos que funcionam como pilares do sucesso ou fracasso de uma implementação. Embora pareça óbvio que o foco seja a automatização, é necessário planear e analisar de forma detalhada até que ponto a modernização é sustentável para uma determinada empresa. Nesta fase, é significativamente aconselhada a experiência de um analista de processos externo, especializado neste âmbito.

Qual a importância do planeamento na fase de implementação de um projeto de indústria 4.0?

Observe o exemplo que se segue:

Situação: Vamos supor que o líder do projeto da empresa X, decidiu por sua conta e autoria solicitar a compra de um robot, para transportar embalagens de cartão entre dois postos de trabalho com aproximadamente 3 metros de distância.

Perante este cenário, surgem algumas questões que devem ser colocadas de imediato:

– O líder do projeto envolveu todas as partes interessadas nesta decisão?

– Aconselhou-se com um analista de processos externo?

– É certo o retorno deste investimento?

– Se sim, quanto tempo demora até o alcançar?

– Esta mudança vai aumentar a produtividade do operador que outrora transportava as embalagens?

– Foi tido em conta o valor do custo médio de manutenção do robot?

– Com que periocidade é feita essa manutenção?

– O robot consegue transportar mais embalagens do que o operador?

Todas estas questões devem surgir numa fase embrionária uma vez que o risco de as fazer e analisar no momento após a aquisição do robot é seriamente preocupante. Este tipo de investimentos irrefletidos e pouco planeados culminam num aumento do desperdício e do custo sem que o retorno esteja garantido à empresa.

Perante este exemplo, apresentamos os principais pontos que devem ser motivo de análise e reflexão, de forma positiva e ativa, que ditam o sucesso e a eficácia da implementação de um projeto de indústria 4.0.

Conheça 10 pilares para o sucesso da implementação de um projeto de indústria 4.0!

1- Preparar os colaboradores para a mudança

Para que as melhorias ocorram, os colaboradores precisam de entender a importância da mudança dos processos. Ao incorporar esta ideia nas respetivas equipas, integrando-as nas atividades, permite-lhes saber exatamente quais serão as mudanças e de que forma devem agir perante elas, a partir de um determinado momento. É também seriamente aconselhado revelar o impacto positivo que a mudança vai ter no processo, bem como, transmitir aquilo que é esperado de cada uma das partes.

2- Estruturar uma metodologia

Para que a mudança seja integrada com sucesso, é necessário dispor de ferramentas que proporcionem uma melhor aplicação da estratégia. Como demonstrado no exemplo anterior, na fase de implementação é crucial traçar um plano que seja exequível e vá ao encontro das expetativas e ambições da empresa em análise. Um exemplo de uma ferramenta ágil e proveitosa a utilizar nesta fase é o PDCA.

3- Estabelecer objetivos

Sem estabelecer objetivos fica impossível fazer o acompanhamento do processo e avaliar os resultados obtidos. A falta de transmissão de objetivos aumenta a probabilidade de falta de compreensão por parte do utilizador final. Por esse motivo, é necessário que os líderes e gestores de equipa divulguem e esclareçam os objetivos e as metas pretendidas, tanto quanto as consequências do seu insucesso.

4- Criar reuniões de acompanhamento

As reuniões são essenciais para aproximar as partes envolvidas, avaliar o progresso, bem como analisar e eliminar pontos de bloqueio. As mudanças estão a dar resultados? O que se pode melhorar? Principalmente numa fase inicial, é importante existir uma menor periodicidade deste tipo de reuniões, sendo que o ideal é aumentar ao longo do tempo para a estabilização do processo.

5- Monitorizar o processo

De pouco ou nada vale automatizar e/ou otimizar um processo se os resultados do mesmo não são analisados. Devem existir recursos humanos responsáveis por fazer essa monitorização e garantir diariamente que o processo está a comportar-se como foi planeado. Desta monitorização surgem muitas vezes sugestões de melhoria e, consequentemente novas decisões. O acompanhamento é fundamental num processo desta natureza cuja evolução segue a um ritmo constante e contínuo.

6- Ter apoio da gestão

O envolvimento da equipa é fundamental para o sucesso de qualquer projeto. No caso de automatização, esse incentivo é ainda mais importante. Muitas vezes, da falta de apoio das áreas administrativas, surgem barreiras que prejudicam gravemente a implementação, culminando muitas vezes num investimento parcial e/ou incompleto do processo, o que acaba por ser um entrave à progressão.

7- Motivar as equipas

Este ponto é crucial para o sucesso de qualquer tipo de implementação. É importante que as pessoas se sintam envolvidas e que também elas são a chave para o sucesso. É um dever dos líderes e dos gestores de equipas transmitir às mesmas que não são impositores, mas sim, que estão recetivos a novas ideias e sugestões de melhoria.

8- Estar atento aos colaboradores mais resistentes à mudança

Os resistentes podem prejudicar todo o processo da empresa e ainda desmotivar os colegas. Por este motivo, é muito importante identificar e monitorizar continuamente o colaborador desmotivado. 

9- Investir de forma correta

É crucial em qualquer ramo de negócio saber estabelecer a relação entre o custo-benefício, bem como posicionar o estado e o modo em que a empresa atua no mercado para ser fácil de entender até que ponto é benéfica e sustentável a mudança tecnológica.

10- Analisar a capacidade da infraestrutura

Este ponto está intimamente relacionado com o ponto anterior, com a diferença de que se trata da estrutura física da própria empresa. Não vale a pena virtualizar processos se não existem equipamentos nem capacidade para suportar esse tipo de evolução.

Em conclusão …

A Indústria 4.0 pode representar uma enorme vantagem competitiva para grande parte das empresas no mercado. No entanto, como foi possível verificar ao longo deste artigo, a sua implementação não é estática, muito pelo contrário, é necessário garantir que tudo é decidido segundo um planeamento analisado e adequado a cada realidade empresarial.

Seja qual for o ramo de atuação de uma empresa, só através de um bom planeamento, uma comunicação eficiente e implementação de boas práticas, é possível tirar partido de qualquer tipo de mudança que se pretenda estabelecer. Importa não esquecer que apesar da sensibilidade deste tema, a evolução para um contexto de indústria 4.0 tem um vínculo cada vez mais forte e presente no mercado e as empresas que não acompanharem esta transformação tornar-se-ão obsoletas e incapazes de competir neste meio tão inovador.

Rafaela Almeida

Licenciada em Engenharia e Gestão Industrial pela ESTG no Instituto Politécnico de Leiria, em 2019.

Realizou estágios de Verão na Moldes RP, onde esteve envolvida na implementação de ferramentas Lean, tratamento de não-conformidades e otimização de processos.

Foi responsável de Planeamento e Gestão da Produção na Indústria Portuguesa para Moldes, onde implementou ações de otimização de processos.

Em 2020 direcionou-se para a consultoria de software MES, CRM e ERP, onde exerceu a função de gestora de projetos, tester, implementação e analista.

Atualmente, encontra-se na equipa Accept da Sinmetro onde exerce a função de consultoria de projetos.

Subscreva a nossa Newsletter e receba sempre os conteúdos no seu e-mail.

Este artigo foi útil?

Classifique este artigo

Uma vez que achou este artigo útil...

Siga-nos nas redes sociais