Artigo, Indústria 4.0, Produtividade

Mindfulness na era 4.0

Na era da Indústria 4.0, na qual dominam os conceitos de salto tecnológico, informação, conetividade, globalização, multi estímulos, qualificação, rapidez de resposta e digitalização, automação, descubra a importância do mindfulness para alcançar melhores resultados no seu trabalho.

A Indústria 4.0

A Indústria 4.0 ou Quarta Revolução Industrial, tem como objetivo informatizar o mundo fabril, propondo a integração técnica de Sistemas Ciberfísicos (CPS), na produção e logística, bem como o recurso à internet orientada à otimização de processos industriais. Este processo, onde os equipamentos e as máquinas estão conectados em rede, através de plataformas digitais que disponibilizam informação em tempo real, é também designado de Internet das Coisas (IoT).

Assim, com os avanços recentes nestas tecnologias, juntamente com o advento e forte aposta em investigação, no âmbito da Inteligência Artificial (IA), as máquinas são concebidas para trabalharem de forma mais rápida e eficaz, reduzindo a possibilidade de erro humano, agilizando processos e, por conseguinte, poupando tempo e dinheiro às empresas.

Muito se tem refletido sobre o receio de que a evolução da máquina constitua uma ameaça eminente à presença do homem na indústria, especialmente quando considerando o crescente ritmo de desenvolvimento tecnológico.

De facto, estima-se que, com o desenvolvimento tecnológico, a “máquina” venha a fazer todo o trabalho de manufatura. Porém, um estudo divulgado em 2015 pela entidade de Consultoria Internacional Deloitte, constatou que foram mais os postos de emprego criados, do que os eliminados.

Apesar de estarem cada vez mais desenvolvidas, existem características que são exclusivas do ser humano e que não podem, pelo menos atualmente, ser colmatadas pelas máquinas, como é o caso da criatividade.

Será que o homem terá capacidade para acompanhar a velocidade das máquinas?

O desenvolvimento tecnológico e a emergência da Indústria 4.0 traz consigo inúmeros desafios para o homem.

À semelhança do que aconteceu com a Indústria 1.0, a inovação e o desenvolvimento tecnológico não são sinónimos de abolição de postos de trabalho. Apesar de a máquina vir a substituir o homem em várias tarefas, simultaneamente, proporcionará novas oportunidades de trabalho, anteriormente impossibilitadas pela sua inexistência.

Com a chegada da indústria 4.0, o homem terá necessidade de se adaptar às exigências de um futuro crescentemente tecnológico, significando que este terá de criar estratégias para acompanhar, ao seu ritmo, a velocidade de interações e processamento de informação das máquinas.

A importância do mindfulness na era da Indústria 4.0: uma nova relação com a tecnologia e connosco

Em português, “Mindfulness” pode traduzir-se por “atenção plena”. Um estado em que prestamos atenção – de propósito e sem julgamentos – ao momento presente. Esta é a definição de Jon Kabat-Zinn, médico e fundador do Center for Mindfulness in Medicine, Health Care and Society, da Universidade de Medicina de Massachusetts. Desde os anos 70 que este autor se tem dedicado ao estudo de divulgação do mindfulness, sendo um dos grandes responsáveis por todo o reconhecimento que esta prática tem vindo a receber.

O mindfulness permite-nos aprender a estar verdadeiramente presente em cada instante, com plena consciência de tudo o que está implicado em cada momento de vida, deixando de lado a tendência natural da mente para deambular, julgar, avaliar, que pode ser considerada responsável por uma boa parte do sofrimento que experienciamos no nosso dia a dia e suas implicações cognitivas individuais.

Quais os benefícios de adotar uma atitude mindfulness no trabalho?

O conceito de mindfulness tem recebido grande atenção nas pesquisas, na sua maioria em estudos clínicos e mais recentemente debruçando-se no seu impacto no contexto de trabalho.

Neste contexto, o mindfulness permite alcançar um conjunto de benefícios, comprovados cientificamente, que contribuem para um maior equilíbrio físico e emocional:

– Reduz o stress e a ansiedade;

– Reforça a capacidade de memória;

– Favorece a inteligência emocional, a criatividade e a inovação;

– Melhora a clareza na resolução de conflitos e na tomada de decisões;

– Potencia o foco (atenção);

– Aumenta a ponderação (diminui a reatividade emocional);

– Contribui para fortalecer as relações interpessoais;

– Protege o organismo;

– Torna o pensamento mais positivo e evita a depressão.

Mindfulness: 3 estratégias práticas na era da Indústria 4.0  

O contexto industrial e as suas exigências para as pessoas que nele trabalham, os avanços e a proliferação da tecnologia pode ser sinónimo de mais estímulos externos, maior pressão externa sobre o indivíduo, aumento dos níveis de stress, cansaço, falta de concentração e dificuldades de relacionamento interpessoal.

Estima-se que o ser humano tenha quase 40 mil pensamentos todos os dias, mas só consiga processar 3% de todas as informações.

O mindfulness (atenção plena) propõe prestar atenção, de propósito, no momento presente, sem distrações, julgamentos e interrupções. Aplicar estes pressupostos no seu dia a dia, em contexto de trabalho, tem comprovadas implicações positivas, como vimos anteriormente, no seu bem estar físico e emocional, produtividade, e capacidade de foco.

Propomos 3 estratégias práticas simples:  

1. Respiração Consciente

Reserve alguns minutos, pode começar por breves minutos (entre 3 a 5), durante o seu período do dia, para realizar uma respiração consciente. Feche os olhos ou foque um ponto a cerca de um metro de si. Inspire pelo nariz, calma e profundamente, e expire pela boca, lenta e pausadamente. Foque a sua atenção na sua zona abdominal e sinta como esta se move ao ritmo da sua respiração.

É natural que surjam pensamentos ou avaliações. Simplesmente acolha esses pensamentos, sem julgamento, e volte a focar a sua atenção na respiração.

Pode surgir a consciência de alguma sensação desagradável, pode perceber que alguma parte do seu corpo está tensa. Se isto acontecer, experimente não lutar com essa tensão: simplesmente respire e imagine que essa tensão se liberta ao mesmo tempo que deixa sair o ar, com cada expiração. Permita-se aliviar essa tensão.

Mantenha a consciência, por breves instantes, de todo o corpo, durante alguns instantes, no aqui e agora.

Quando se sentir preparado, comece novamente a tomar consciência do espaço onde se encontra e, ao seu ritmo, sem pressa, abra os olhos e volte a sua atenção para o exterior.

2. Concentre-se numa tarefa de cada vez

Como escrevemos aqui, o multitasking é a grande tentação do século. Na era da digitalização, conetividade, somos “empurrados” a fazer várias coisas ao mesmo tempo. O que desconhecemos é que o facto de estarmos a executar várias tarefas ao mesmo tempo, de forma constante, tem repercussões na prestação do nosso cérebro e na nossa prestação cognitiva.

Os estudos demonstram que quando nos concentramos numa tarefa de cada vez a eficiência cerebral e o nosso desempenho melhoram.  

Assim, organize o seu dia de forma a que a sua mente esteja focada numa tarefa apenas de cada vez. Determine blocos de tempo para concluir cada tarefa de forma separada, com pausas curtas entre elas. Reserve tempo para eventuais imprevistos que possam surgir ao longo do dia.

3. Esteja atento às suas emoções

Saber escolher entre a razão e a emoção pode ser uma das escolhas mais difíceis que fazemos.

Ignorar as emoções pode ser um gatilho para resultados danosos, trazendo grandes prejuízos para a sua saúde física e emocional.  Não lute contra suas emoções. Permita-se senti-las.

Nos momentos mais exigentes do seu dia, pare. Foque a sua atenção nas suas emoções e que influência estão estas a ter no seu comportamento. Questione-se: “perante esta situação, o que estou a sentir agora?”. Reflita sobre o que estas emoções lhe estão a transmitir. Avalie se é benéfico “deixar-se raptar” por essas emoções. Reflita sobre o comportamento que quer adotar face a essa situação desafiante. Escolha o seu comportamento, através do controlo da sua emoção.

É muito interessante perceber que, quando os trabalhadores e líderes individualmente aumentam a sua consciência do aqui e agora, a equipa de trabalho ganha, igualmente, essa consciência. Através do fortalecimento das relações interpessoais, esta consciência coletiva vai ter reflexos positivos na organização, não só a nível do bem estar pessoal, como também ao nível da produtividade.

Desafie-se!

Sofia Pereira

Empreendedora e especialista em gestão de tempo, produtividade e work-life-balance. Fundadora da Academy4you – Coaching | Training | Consulting e da Academia pais Sem pressa. Certificação Internacional em Coaching Neurolinguístico. Certificação em Inteligência Emocional e Social. Distinguida com o Selo Slow Coaching, pelo Slow Movement Portugal. É a primeira e única profissional com esta distinção, em Portugal. Consultora work-life balance. Certificação em Mindfulness e meditação. Formadora certificada. Experiência em Coordenação de equipas. Experiência como Docente no Ensino Superior. É licenciada em Serviço Social, Pós-graduada em Análise e Intervenção Familiar,  pela Faculdade de Psicologia da Universidade de Coimbra.

Subscreva a nossa Newsletter e receba sempre os conteúdos no seu e-mail.

Este artigo foi útil?

Classifique este artigo

Uma vez que achou este artigo útil...

Siga-nos nas redes sociais