Qualidade Industrial

Princípio de Pareto: 3 aplicações práticas

O Princípio de Pareto, também nomeado de Princípio 80/20, criada por Vilfredo Pareto, enuncia que 80% das consequências provêm de 20% das causas.

Vilfredo Pareto era um sociólogo e economista italiano o qual, em 1897, publicou um estudo sobre a distribuição da riqueza e, através deste estudo, apercebeu-se que a distribuição de riqueza não acontecia de forma uniforme, havendo uma grande concentração (80%) nas mãos de uma pequena parcela da população (20%).

Pareto afirma que 80% das consequências provem de 20% das causas.

A titulo de exemplo: 80% das vendas de uma empresa advêm de 20% dos seus clientes ou 20% das nossas atividades determinam o consumo de 80% do nosso tempo diário.

Princípio de Pareto

Em que áreas pode o Princípio de Pareto ser aplicado?

Gestão de tempo

Uma das premissas fundamentais para o nosso equilíbrio pessoal/familiar/profissional é a eficaz gestão do nosso tempo. Segundo a Lei de Pareto, ao analisarmos a nossa gestão de tempo, verificamos que 20% das nossas atividades determinam o consumo de  80% do nosso tempo diário.

Podemos, igualmente, verificar que existem momentos no dia em que não existe qualquer produtividade, e consequente, se somadas, conduzem a uma perceção de que o tempo pareça mais curto.

O que podemos fazer? A chave está em reduzir as atividades sem grande valor acrescentado e que conduzem a grande parte do nosso tempo sem produtividade.

Como poderá fazê-lo? Sugerimos que consulte este nosso artigo, no qual apresentamos 10 estratégias para uma gestão de tempo mais eficaz.

Indústria

O Princípio de Pareto tem muitas aplicações no controlo de qualidade, produção e logística. A base do diagrama de Pareto é uma das ferramentas-chave usadas em técnicas de gestão da qualidade total, bem como na Metodologia Seis Sigma.

Este princípio serve como linha de base, amplamente usado na logística e armazenamento, com a intenção de otimizar o armazenamento de bens e respetivos custos inerentes à manutenção e abastecimento destes stocks.

Traduzindo a Lei de Pareto, na área especifica da qualidade, 80% das falhas de qualidade são originadas por 20% das causas.

Quem trabalha com gestão de processos poderá fazer valer-se deste exemplo do Princípio de Pareto para encontrar as 20% de tarefas, cuja otimização trará um maior impato a todo o processo.

Na implementação de OEE em chão de fábrica, a análise dos principais motivos de paragem irá tipicamente levar à conclusão que 80% do tempo de paragem de uma máquina é da responsabilidade de 20% dos motivos.

Conhecimento

Muitas vezes, podemos “perder” o nosso tempo com consultas e leituras que não terão particular interesse para o cumprimento do nosso objetivo.

De acordo com a Lei do Pareto, 80% do nosso conhecimento vem apenas de 20% das consultas e leituras que fazemos. Neste sentido, o desafio é concentrarmo-nos nos conteúdos que estão relacionadas com a nossa área de interesse.

Isto não significa que não devamos ler sobre outros assuntos do nosso interesse, contudo, devemos ser criteriosos e manter o foco.

Como pode observar, o Princípio de Pareto pode influenciar positivamente a sua eficácia e eficiência em diversas áreas de intervenção.  Neste sentido, sugerimos que procure aplicá-lo diariamente e consequentemente melhorar o seu desempenho!

Quer trabalhar de forma mais eficiente?

Faça o download do Workbook “Otimização de Processos – 10 passos para o sucesso!” e conheça as etapas que deve seguir, desde a conceção da ideia, à implementação e otimização do processo!

Este artigo foi útil?

Classifique este artigo

Uma vez que achou este artigo útil...

Siga-nos nas redes sociais