Artigo, Indústria 4.0

Programa de Apoio à Produção Nacional: taxas de financiamento até 60 %

Estão abertas as candidaturas para o novo Programa de Apoio à Produção Nacional (PAPN). Trata-se de um Programa de Apoio a micro e pequenas empresas nas áreas do turismo e indústria, que visa apoiar pequenos projetos de investimento, com o objetivo de dinamizar a produção nacional, incentivando a transição das empresas para a economia digital e para a economia verde, no qual se inclui o investimento em consultoria e implementação de tecnologias e serviços digitais.

Com a implementação do Sistema ACCEPT pode majorar o seu projeto no âmbito da transição digital.

Programa de Apoio à Produção Nacional

Programa de Apoio à Produção Nacional: tudo o que necessita de saber!

I. Destinatários:

O PAPN destina-se a Micro e Pequenas Empresas dos CAE REV 3: 

– Indústrias extrativas (CAE 05 a 09); 

– Indústrias transformadoras (CAE 10 a 33); 

– Turismo: Estabelecimentos hoteleiros (CAE 551); Turismo no espaço rural (CAE 55202); Parques de campismo e de caravanismo (55300); Restauração (561); Organização de atividades de animação turística (93293). 

II. Objetivos:

 Estimular a produção nacional da indústria e turismo e reduzir a sua dependência do exterior.  

III. Principais despesas ilegíveis:

– Máquinas e equipamentos;

– Equipamentos informáticos, incluindo o software;

– Software standard ou desenvolvido à medida;

– Criação de novas marcas ou coleções;

– Domiciliação de aplicações, adesão inicial a plataformas eletrónicas, subscrição de «software as a Service», criação e publicação de novos conteúdos eletrónicos, bem como a inclusão ou catalogação em diretórios ou motores de busca;

– Material circulante até 40 mil euros;

– Estudos, diagnósticos, auditorias, Planos de marketing até 5 mil euros; 

– Serviços tecnológicos/digitais, sistemas de qualidade e de certificação até 50 mil euros;

– Obras de remodelação ou adaptação até 60% do investimento total elegível. 

IV: Máximo elegível

O máximo elegível é de 235,000€.

V. Duração Máxima

A duração máxima do projeto é de 18 meses.

VI. Taxas de financiamento

Taxas de financiamento até 60%.  

VII: Taxa base

Taxa base de 30% ou 40% (territórios de baixa densidade, listagem neste link).

VIII: Majorações

MAJORAÇÕES (até 20%):  

1. Projetos enquadrados nas prioridades: 

a) Transição digital (10 %);

b) Economia Circular, incluindo a adoção de princípios da transição energética (10 %). 

2. “Estratégias de eficiência coletiva”. Projetos PROVERE ou desenvolvidos nas cadeias de valor do vinho ou do queijo (10 %). 

3. Produtos turísticos integrados de base intermunicipal (10 %). 

4. “Diáspora”: Projeto cujos investidores tenham o Estatuto de Investidor da Diáspora (RCM n.º 64/2020 de 18 de agosto) (5%). 

A Sinmetro tem tido, desde 2011, 100% de aprovação em candidaturas submetidas!

A equipa Sinmetro assegura todo o processo de elaboração da candidatura, orientando na definição da estratégia de investimento, escrita integral de todos os textos, gestão do formulário, estudo de viabilidade económica e financeira, entre outros aspetos. 

Não hesite em contactar-nos e não perca esta oportunidade.  

Este artigo foi útil?

Classifique este artigo

Uma vez que achou este artigo útil...

Siga-nos nas redes sociais